Como andam… os planos que fizemos para 2011?

É gente, já estamos em agosto. O tempo passa rápido e coisa e tal. E no início do ano eu bem fiz uma lista das coisas que eu gostaria de realizar em 2011, vocês fizeram também?
Bom, só sei que resolvi fazer uma recap agora antes que seja tarde. Se eu fosse vocês, faria também. Pode até parecer que não, mas ainda dá tempo de poupar o mimimi da lista de 2012 cheia de itens repetidos desse ano.

Minha lista e observações:

1) Assistir muitos shows. Check!
Por enquanto estou indo bem nessa. Ano passado não fui a show nenhum, então estou feliz com Paul McCartney e Kate Nash. Ainda vem Rock in Rio com Coldplay, J-Z e Skank. E Hanson em dezembro novembro. Ai, Hanson….

2) Fazer um curso bacana de Marketing. #Fail
Acho que vou abortar essa. Ainda não sei se vou continuar em Marketing depois de ter começado a trabalhar em PR.

3) Decorar meu quarto, com meu próprio dinheiro. Quase lá!
O meu quarto está quase todo decorado. Aliás, preciso mostrar para vocês. Bem fofo. Depois tiro fotos. Mas tem uns cantinhos que postei aqui uma vez, olha.

4) Terminar o planejamento estratégico do GWS e usa-lo para fazer de 2011 o melhor ano do site! Se liga, Carolina!
É, falhei no plano estratégico por enquanto. Mas que o site vai ter uma reviravolta em breve, isso vai.

5) Fechar muitas parcerias comerciais para o GWS. Check!
Mas quero mais.

6) Dedicar um tempinho todos os dias aqui para o blog. #Fail
Meio que já desisti desse tempinho diário. Mas até que tô indo ok, né?

7) Ministrar o workshop sobre blogs e outras mídias online junto com a Nuta. #Fail
Acho que essa vai ficar pra 2012. Ou não. Quem sabe?

8) Arrumar um bom emprego. Check!
Arrasei!

9) Conhecer Fortaleza. Se liga, Carolina!
Se não rolar uma folga no trabalho fora 15 de novembro, esse tópico vai acabar virando #Fail.

10) Voltar a estudar francês. Check!
Mereço estrelinha por esse. Ir para o Fundão sábado 8h da manhã é um desafio brabo.

11) Customizar muitas roupas. #Fail
Tô sem tempo e nem quero mais. Preguiça. hahaha

12) Fotografar mais. Quase lá!
O meu flickr está menos abandonado, mas ainda assim preciso dar um gás.

13) Imprimir as melhores fotos de cada mês. Check!
Não imprimi as melhores de cada mês, mas imprimi as melhores das minhas viagens. Tá valendo.

14) Fazer minhas próprias unhas, toda semana. #Fail
Não dá, gente. Demora muito, arranco bifes e não quero.

15) Fazer scrapbooks e outros projetos feitos à mão. Se liga, Carolina!
Quero muito conseguir, estou super parada, hora de mudar isso antes que vire #Fail. E eu não quero que isso aconteça!

Bom, já que abortei algumas missões, vou adicionar uma muito importante:

16) Começar a fazer exercícios. Se liga, Carolina!
Ganhei 5kg esse ano. Preciso falar mais alguma coisa?

Um pequeno detalhe

Deixa eu falar pra vocês um caso que um colega de trabalho estava contando hoje lá no escritório. A gente refletia sobre esse momento de crise norte americana e como o dólar mais baixo dá uma coceira na carteira e coisa e tal. Daí ele veio contar, né, que tem um amigo que acabou de voltar de Miami com tantas compras que não dava nem pra imaginar. Que ele pegou o dólar a mais ou menos R$1,50 lá e trouxe a vida na mala. E mais, o pai dele ainda trabalha na alfândega, então já viu, rolam vários esquemas e tal.

O caso é esse. The end. Coisa corriqueira, aparentemente nada demais, né?

Mas, se assim como eu, você conseguiu ter um pouco de sutileza para ver um pequeno detalhe muito errado nessa história, parabéns, você tem um dom, não deixa passar batido.

Aprendizados

“Podemos pagar um preço alto por nossos conceitos e apreciações. Por isso, é preciso reflexão e vivência antes de atirarmos completamente o que pensamos.”

“‘O ego gosta muito das ideias: se eu penso, logo existo, é o que Descartes costumava dizer. Por isso temos essa necessidade de agarrar nossos conceitos e crenças com unhas e dentes: o ego precisa se assegurar de que existe e de que é extraordinariamente importante’, diz com bom humor, e não sem uma pitadinha de ironia, o mestre budista Chögyam Trungpa.”

“Crenças em Xeque”
Revista Vida Simples
Agosto 2011

Aprendemos a falar só para nos calar

Eu queria contar para vocês a minha revolta com a humanidade e como ela se transformou em tranquilidade depois de alguns meses de introspecção.

Eu queria, mas não vou.

Não vou por que descobri que nesse mundo compartilhado com pitadas politicamente corretas só tem tranquilidade quem não fala sobre a sua revolta.

Se você vier quente com suas ideias transgressoras, pode saber que os antiquados já te aguardam fervendo de argumentos contrários. Se por uma ilusão você se sentir a vontade para voltar a expor sua indignação tradicionalista, não precisa esperar muito até o banho de água fria da face moderninha do mundo.

Desculpem os trocadilhos nada funcionais de palavras frias e quentes. Mas foi assim que me ensinaram a viver: nessa selva de extremos revoltosos, só os mornos se salvam. Calados.

Clip lindo do dia

Noel, tu arrasou.

À francesa

Estou completamente apavorada e desesperada com uma prova de francês que vou fazer amanhã, SÁBADO, às 8h da matina.
Em homenagem a esse momento marcado pela angustia em plena sexta-feira, replico o bom fim de semana do A Day in The Life.

Jali – Espanola from ChezEddy on Vimeo.

Me desejem sorte!
Ou melhor, souhaitez moi bonne chance!

Querido diário

Hoje eu resolvi dizer que queria que você existisse, mas não tenho coragem de escrever o que vem na cabeça sabendo que o visual da página pode ficar feio (e é muito provável que fique). Confesso que gostaria de olhar para você e me sentir mais estilosa e se a página ficar feia a única coisa que vou conseguir é me sentir ainda pior, por que sei que tem gente que rabisca qualquer coisa e fica lindo. E pensando por esse lado vejo que eu não sou digna de te ter, já que a última coisa que eu deveria pensar é numa página com rascunhos bonitos.
Mas se você souber de alguém menos idiota que eu, indica esse post, que fala como é legal essa história de ter seu próprio diário e coisa e tal.
A gente se fala, beijo.

La dolce vita

Doces são minha criptonita, gente. Não sei me controlar, pareço uma formiga sem rumo perto de qualquer coisa com açucar. Já até ouvi dizer que existe um estudo que comprova que essa substância maldita causa dependência. Para mim nem precisa de estudo, é fato.
Aí já viu né, imaginem como fiquei quando vi o trabalho dessa artista. Natureza morta doce. Ai, que lindeza.

Via Oh Joy

Isso é que é ilusão de ótica

Tem gente que é incrível. Uma dessas pessoas é essa artista.

A moça de talento se chama Erik Johansson.
Via A Cup of Jo

O quê que custava eu ter?

A blusa é daqui e a mochila daqui.
(via Oh Joy)