Arquivo do mês: maio 2009

O que te faz sorrir?

A Tati compartilhou comigo essa brincadeira que ela recebeu pelo twitter. A proposta é listar 7 coisas que me fazem sorrir. Então bora lá.

1) “Good Day Sunshine” dos Beatles
2) Reunião na casa de amigos
3) Fugir para uma livraria na hora do almoço
4) Café expresso da Kopenhagen com canudinho de chocolate para acompanhar
5) Family Guy
6) Acordar sem despertador
7) Um dia sem ter absolutamente nada para fazer

3472029281_df2c2e1cfe

Gostei de passar 15 minutos do meu domingo pensando em coisas que me fazem sorrir. Caberia até colocar um último ítem:
8) Fazer essa lista

Não sei com quem compartilhar. Sintam-se à vontade.

Presente de frio

Depois de muitos dias de calor intenso, o friozinho finalmente chegou aqui no Rio. Até quando ele vai durar a gente não sabe, então eu, que não sou boba nem nada, estou aproveitando para fazer programinhas aconchegantes e curtir essa raridade climática na minha cidade 40º.
Uma das minhas paradas prediletas quando chega essa época do ano é a Confeitaria Colombo, no Centro. Passei lá na sexta e me reencantei. O lugar é lindo, chique, totalmente antiguinho e cheio de classe, sabe? Fora o ar de nostalgia… É impossível não sentir que aquele ambiente está carregado de História. Acho o máximo, fico com vontade de voltar no tempo uns 100 anos.

DSC_0419
DSC_0392
E no fim das contas, back in 2009, um quiche de gorgonzola com nozes para matar a vontade de salgado. Uma tartelette de nozes para matar a vontade de doce. Um café para arrematar as duas vontades e pronto, volto feliz para casa.

DSC_0408

Ordem e Progresso

Hoje eu estou de TPM e vou aproveitar para falar o que eu quiser.
Que revolta desse país mal administrado que é o Brasil. Raiva de ver tanta abundância de mão de obra inteligente e disposta a trabalhar desperdiçada por interesses mesquinhos. Raiva dessa gente mal educada que está no congresso lavando dinheiro, roubando milhões sem cerimônia. Não tiveram pai nem mãe para ensinar valores, ética, conduta moral? Não, né, só pode. Depois tem que ficar criando CPI atrás de CPI para fazer o povo se enrolar, não entender mais nada, se sentir frustrado e deixar de lado.
Não aprenderam a dar exemplo. Se o meu chefe chega atrasado no trabalho, eu quero poder chegar mais tarde também, não é assim que funciona? E se o meu governador pode roubar, eu posso montar meu esquema para roubar também. É assim que funciona.
Tão ensinando o povo a burlar as leis, a tirarem sarro do cidadania, a cultivarem a ganância como ideologia de vida. E uma coisa é certa, eu já disse isso antes aqui: quem sabe, sabe. E ensina bem. Tá aí o resultado.
E o sistema fica assim: Primeiro os poderosos fazem a festa e, depois, com o dinheiro que sobrar, eles pagam as contas da educação, saúde, transporte da população. Como já dizia o grande poeta Marcelo D2, “Ordem para o povo, progresso para a burguesia.”
down-pola

A melhor de todos os tempos – parte II

Adorei passar a semana ouvindo o “Please Please Me”, que CD fofo! Letras de amor adolescente e batida que gruda no ouvido, quem diria. Não é a minha fase predileta dos Beatles, but I like it anyway.
Enquanto escutava fiquei imaginando como devia ser aquela época, o que as pessoas estavam fazendo, o que o mundo vivia. Sei lá, gosto de contextualizar as coisas que leio, vejo, escuto. Coisa de doida.
Aí pedi para um amigo querido desde os tempos do colégio me ajudar. O Tiago, que é historiador, professor, futuro cineasta e blogueiro, escreveu em pouquíssimas linhas os eventos mais importantes do ano que o CD foi lançado, 1963. Aí vai:

“A guerra fria esfriava. O Vietnam sangrava. John Kennedy sangrava. No Brasil, as tensões aumentavam. Jango retoma à presidência com plenos poderes. Che e Fidel recolocavam a América Latina no mapa.”

Achei super útil, deu uma clareada. Gostei tanto que pedi para ele fazer a mesma coisas com os próximos posts.


E nessa semana comecei a ouvir o “With The Beatles”, também de 63. Esses caras eram umas máquinas de fazer disco! Que bom! E aí, alguém me acompanha?

Senhoras

boca
Conversa entre Otto von Bismarck, chanceler alemão, e uma atraente dama a quem entretinha com galanteios:
“― Não se pode confiar em nenhuma palavra de um diplomata!
― O que significa isso? ― perguntou-lhe Bismarck.
― Quando um diplomata diz ‘sim’, quer dizer ‘talvez’; quando diz ‘talvez, quer dizer ‘não’; e quando diz ‘não’, bem, então não é um diplomata.
Diante dessas palavras um tanto inconvenientes, Bismarck respondeu:
― A senhora tem razão, temo ser isso parte de nossa profissão. No entando, com as senhoras acontce exatamente o contrário.
― Como? ― indagou a senhora, meio intrigada.
― Quando ela diz ‘não’, quer dizer ‘talvez’; quando diz ‘talvez’, quer dizer ‘sim’; e quando diz ‘sim’, bem, então ela não é uma senhora.”

Foto tirada daqui.

Na locadora

Assim foi meu fim de semana.

A Queda – Ótimo.

O Cheiro do Ralo – Estranho, mas tem a fotografia muito legal. E umas partes até engraçadas.

Noivas em Guerra – Muito ruim. Mas adoro a Anne Hathaway, então tinha que ver.

Escorregada #1

1788526-2-zen-mentos Ontem comi quase um pacote de mentos, a bala mais do mal do mundo para a minha gastrite. A partir de hoje ela está inclusa na parte de proibições. Fica o registro.
No mais, estou indo bem com a dieta anti-junkie.